Volatilidade Cambial, Incerteza Política e Demanda Agregada: Duas Décadas de Regime de Câmbio Flutuante no Brasil

Resumo

Em 2019, o brasil completou 20 anos do regime de câmbio flutuante que foi caracterizado por períodos de alta e baixa volatilidade da taxa de câmbio. Este artigo tem como objetivo analisar os efeitos desta volatilidade da taxa de câmbio sobre os principais canais de demanda agregada, o consumo e a formação bruta de capital fixo. As estimações foram feitas entre o 1° tri de 1999 e o 2° tri de 2018 e para o subperíodo pós-crise de 2008 (1° tri de 2008 e 2° tri de 2018). As estimações obtidas por MQO e GMM mostram que a volatilidade da taxa de câmbio afeta negativamente os investimentos, mas não o consumo. Mostram também que tais efeitos negativos foram mais intensos a partir da crise de 2008 quando comparado com todo o período de regime de câmbio flutuante.

Palavras Chave: Volatilidade Cambial, Investimentos, Consumo, Demanda Agregada, Séries de Tempo.

Baixe a publicação completa aqui.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

*

Translate »